30 de março de 2008

Deixando Para Trás

foto por Lineacurva - deviantart.com


Encontrou coragem e refez passos que há tempos receava encenar novamente. Há rotinas que fazem mal. Há lugares que fazem mal. Mas um homem tem que fazer o que um homem tem que fazer. Bobagem machista? Talvez. Mas, quando bem aplicado, é santo remédio que até cabelo faz crescer, hálito ficar mais puro, dentes ficarem mais brancos e mentira virar verdade. Re-encenar atos da peça que faltava serve como expiação de pecados cometidos. Tome-se o devido cuidado para não sucumbir diante de velhos hábitos, como, por exemplo, acender um cigarro quando a vontade for voltar ao útero materno e fugir das dores mundanas. Serve também para encerrar um ciclo e, ao menos, estar aberto para iniciar novos momentos, criar novas rotinas confortáveis e demarcar novos lugares como sendo seu. Seus, melhor falando. É momento de deixar para trás, abrir mão, e, se serve de consolo, ouçamos Bono dizer (em tradução livre) que o que se deixa para trás não se sente saudade. Não serve de consolo? Que seja. Mas há de se perder pelo menos a torturante mania de abraçar fantasmas em noite de chuva, quando o frio é maior e as certezas caem pelo chão como castelo de cartas em vendaval. Refazer os passos procurando encontrar novos sentidos para as esquinas é obrigação para continuar a vida. Um homem não deve, melhor, não pode viver acorrentado em seus próprios e insanos medos. Sabendo, inclusive, que metade deles só existe em seus desvairados pesadelos. Refazer momentos é alforriar-se, e descobrir que dentro do armário não há mais monstro faz um bem danado. Abramos uma cerveja.


"And what you leave behind you don't miss anyway." (U2, in Gone)

6 comentários:

Camilla Tebet disse...

Tomo um copo com vc para comemorar a sua coragem, que confesso ainda nao ter. Morro de medo dos fantasmas dos armários e refazer cenas é muito difícil para quem não consegue nem fazê-las ainda. Mas vou procurando a receita disso, inclusive por aqui, em seu blog. Estás um passo além,SR. Policial/Poeta.

Alice disse...

Gosto de fantasmas. Coisa boa aprender com esses seres absolutos. Fantasmas são absolutos. E coragem mesmo é agarrar a memória e deixá-la partir. Fugir é ter medo. Fumar cigarro é vício e escrever é o caminho. O resto é elogio curto e sem graça.

Essa sou eu num dia de domingo.

You're on the road, man.


And for you... understand...

Letícia


too much too little

too fat
too thin
or nobody.

laughter or
tears

haters
lovers

strangers with faces like
the backs of
thumb tacks

armies running through
streets of blood
waving winebottles
bayoneting and fucking
virgins.

an old guy in a cheap room
with a photograph of M. Monroe.

there is a loneliness in this world so great
that you can see it in the slow movement of
the hands of a clock

people so tired
mutilated
either by love or no love.

people just are not good to each other
one on one.

the rich are not good to the rich
the poor are not good to the poor.

we are afraid.

our educational system tells us
that we can all be
big-ass winners

it hasn't told us
about the gutters
or the suicides.

or the terror of one person
aching in one place
alone

untouched
unspoken to

watering a plant.

people are not good to each other.
people are not good to each other.
people are not good to each other.

I suppose they never will be.
I don't ask them to be.

but sometimes I think about
it.

the beads will swing
the clouds will cloud
and the killer will behead the child
like taking a bite out of an ice cream cone.

too much
too little

too fat
too thin
or nobody

more haters than lovers.

people are not good to each other.
perhaps if they were
our deaths would not be so sad.

meanwhile I look at young girls
stems
flowers of chance.

there must be a way.

surely there must be a way that we have not yet
though of.

who put this brain inside of me?

it cries
it demands
it says that there is a chance.

it will not say
"no."

(Charles Bukowski in, The Crunch)

Huge poem but truth has no size.

Alice disse...

E Camila, o blog tem outos escritores. O João é parte do livro. Parte boa, mas tem outras páginas por aí também.

See you.

Zélia Palmeira disse...

Querido,João.

Só não sigo o seu conselho porque eu não bebo cerveja. :D

Quanto ao que Bono disse - oh cara pra dar tiro certeiro!!!,trata-se de uma verdade absoluta.Não sentimos falta do que nós deixamos pra trás.Se algo ainda nos incomoda é porque ele ainda está conosco.Nem sempre é fácil deixar coisas para trás mas isso faz-se necessário quando elas não nos cabem mais...

Coisas vão,coisas vêm! ;)

Anônimo disse...

Oi lá, eu encontrei seu blog através do Google, enquanto busca para os primeiros socorros de um ataque cardíaco e seu post parece muito interessante para mim.

Anônimo disse...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site