2 de março de 2008

A voz da Sabedoria


"Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda..."

Mario Quintana in:Bilhete


Uma apologia ao Amor de todas as formas,horas,idades e tempos.Embora,às vezes,o grito deva ecoar aos quatro ventos...

4 comentários:

Alice disse...

Lindo esse poema do Mario Quintana. Toda vez que leio é aquela sensação de "ver pela primeira vez". Um escritor sem o qual não sei viver. Sigo o Quintana pelas estrelas.

Valeu Zélia, por trazer o meu amigo de cabeceira até nós. :)

Germano V. Xavier disse...

Quintana é mestre dos magos...

Aqui, prefiro o silêncio loquaz de minhas palavras não ditas...

Abraços, querida Zélia!!!

João Neto disse...

Concordo com o Germano. Quintana é mestre e não há mais o que se dizer a respeito. E o amor, quando há, é realmente muito breve...

Mattoso disse...

Encantador esse poema e sem muitos estardalhaços pra não espantar os passarinhos, tudo fica melhor assim. :)