6 de março de 2008

Menu de hoje

(foto by deviantar.com)
Horas que não sai nada. Mesmo o forno estando quente não consigo assar se quer as palavras que formam todo o meu vocabulário. A mesa já está posta, as bebidas estão geladas, mas as palavras ainda estão assando. Enquanto isso, é melhor mudar de assunto, ligar a televisão e ver o noticiário. Vamos falar de política, futebol, do vizinho mal humorado ou daquele parente que sempre pede dinheiro emprestado. Quem sabe assim fica mais fácil. Assim sempre fica mais fácil! É sempre a mesma conversa. A violência que aumenta, o casal de amigos que passa por uma crise, a temperatura do dia e os nossos questionamentos infundados. Mas isso tudo tem solução, já diziam os antepassados, como também mais da metade dos livros de Augusto Cury. Será um revés do destino ou uma sorte de fazer nossa própria realidade? Pode até parecer clichê, pois que seja um clichê, afinal de contas o que seria de nós sem os clichês! Sim, poderíamos reformular nossas mágoas, construir nossas receitas, enfrentar nossas faces, acalmar nosso mar e cuspir a solidão. Seja lá o que for, as palavras ainda estão assando e o tempo passa e passa rápido. Não que a gente vá conseguir fazer tudo isso falando em tom baixo, ficar sem dormir em quartos separados, conversar no feriado ou pedir a força de Sansão emprestada, mas quem sabe digerir as palavras do meu vocabulário com um bom vinho e a sobremesa de sua sugestão.
Mattoso

4 comentários:

Pan disse...

Palavras, cruas ou assadas, não importa: importante mesmo é que sejam bem ditas, assim, como estão no seu texto... =]

Zélia Palmeira disse...

Acabo de visitar um blog e ler sobre clichês.Eles fazem parte da nossa vida mesmo.Talvez,a diferença esteja em como vamos "usá-los".Clichê ou não,tudo tem solução!Hehehehe!

João Neto disse...

E vamos assar nossas palavras. Acondicioná-las em um bom prato. Servi-las no jantar com um bom vinho. Sempre entre amigos.

Alice disse...

Simoni, Cada dia vc me vem com uma novidade "melhor". Gosto dos seus textos e também adoro clichês. Tá vendo que pensar e escrever é tudo questão de prática?
Se cuida e cuida bem dos pensamentos. Valem mais do que livros de auto-ajuda.
Adorei.