23 de março de 2008

Desabalada Carreira


Dia sem graça e os pensamentos saem em desabalada carreira ladeira abaixo. Lá fora o sol brilha. Para quem, cara pálida? Toca o telefone. Ligação de quem já avisou que vai se desligar. Não consegue ficar longe. Não consegue religar. Não consegue nada por completo. Diz saber o que quer. Mas, afinal, quem sabe o que realmente quer? E o que está acontecendo? Quando foi que a rota mudou e a paisagem perdeu o tom, o acorde e a melodia? Bendito céu azul, maldita ausência de asas. Chega e-mail. Vem com o adeus que faltava. Vem em poema e diz o que tem de dizer. Rasga pele, corta fundo e não há mais sangue para pintar nossa cama com as cores do que se perdeu. Novos tempos, velhas idéias. O que nunca se julgou liberdade virou prisão. Mas o que o futuro reserva? Cigano contou mentiras na voz de Djavan e houve quem quis acreditar. Toca o telefone. Vício é assim. Meio que incontrolável. Meio que verdade. Dizem que toda meia verdade é uma mentira e meia. Tem Crossroads tocando, ovo de chocolate e bom papo no MSN. Céu azul. Sem asas. Gente que não se desliga. Passado que retorna. E tudo ao mesmo tempo. Multimídia. Agora é Beatles, From Me To You, with love, claro. É espiral. É cabeça em desabalada carreira. Problema. Ela não sabe para onde está indo.



Foto por Giulllia - deviantart.com

2 comentários:

Alice disse...

"Lá fora o sol brilha. Para quem, cara pálida?"

(João Neto)

Os Beatles disseram um dia "Here comes the sun" e há algum tempo, o Renato Russo falou que "o sol nasce p'ra todos. Só não sabe quem não quer." E agora vem o Eu-Lírico do João e faz pergunta. E eu digo que de todo improviso, nasce algo de bom. Texto bom, dia bom e se a cabeça não continuar em espiral, aí temos morte. Parar de pensar é meio como morrer. Isso quem me falou foi o Juljan - um escritor-músico que anda por aí. E que venha tudo ao mesmo tempo. Lentidão já basta a dessas horas que a gente se sente meio tartaruga.

Nice Job, Mr. Writer.
E que o Gregório traga sua verdade também.

Zélia Palmeira disse...

Os pensamentos são,também,livres.Que corram ladeira abaixo!Temos coragem para recolhê-los ao pé de qualquer ladeira...

;)