6 de abril de 2008

Não Precisava Ser Assim

Ela vem
Mas não há aviso
Por vezes é benção, noutras maldição
Alívio para alguns
Preço a ser cobrado para outros
A morte...
É assim
Hoje vive-se
Amanhã, quem sabe?
E, de tanta vida que tinha, não soube o que fazer
Perdeu-se entre os encantos de sua própria falta de virtude
Buscou e não achou
Foi amado, reconheceu, mas recusou
Táxi para a estação lunar todos os dias
Alma boa, pensamento torto
Criança querendo colo
Luta, em alguns dias
Em outros, entrega
Por fim
Desistiu...
E entre tantos jazigos
Grandes e pequenos e suntuosos e simples
Ocorreu-me o seguinte
Ela é assim, vem para todos
Mas não precisa ser buscada
Não precisa ser dolorosa
Não precisa ser em vão
Não precisa ser tão cedo, apenas trinta...
E agora é só o vazio das palavras não ditas
Esperança de haver algo além
Desejo de rever o sorriso solto
E esperança não é a última que morre
A morte não a alcança



(Foto por Eddie Ferla - deviantart.com)



Essa é uma pequena homenagem a um primo meu, Adriano. Viveu tão intensamente que se consumiu em chamas antes mesmo de saber o que a vida realmente era. Mas, afinal, quem sabe? E, apesar do pouco contato nos últimos anos, fará falta. É injusto morrer tão cedo e de forma tão tola.

3 comentários:

Alice disse...

São dicotomias, João. A vida é cheia delas. Claro e escuro, cheio e vazio, amor e ódio, nascer e morrer. A gente escolhe o caminho, mas também não há como viver pela metade. A gente parte mais cedo, parte na hora, parte antes do fim da festa? Eu não sei responder. Os planos de Deus, nossos planos, fica tudo meio entre mistérios e só quem parte, talvez, descubra a resposta atrás das cortinas. E você fez poema cheio de indagações e eu admiro seu trabalho de escritor - poeta - Antonio Conselheiro. A dor é grande, mas se tem poesia, ela fica mais suave. Poesia talvez seja a voz de Deus, como já disse o Quintana.

"E esperança não é a última que morre
A morte não a alcança."

(João Neto)

Zélia Palmeira disse...

Não precisava ser assim mas sempre é assim.Como tem que ser depois que escolhemos que caminhos seguir - mesmo quando não temos consciência do que fazemos.O conforto,nessa hora,só pode vir de Deus.Ele sabe mesmo o que faz e cuida de nós mesmo quando não percebemos.Embora,só nos sentimos "melhor" se percebermos a presença d'Ele.É preciso buscá-lo aonde Ele está para que a nossa esperança alcance vôos maiores.

Força,amigo! ;)

Ella disse...

Linda homenagem. Linda e apaziguadora.
Bjs