21 de abril de 2008

Silêncio e Estrelas

(Foto por AccessQ, Deviantart.com)


"Em que estrela, amor, o teu riso estará cantando?" [Quintana, in Eu Fiz um Poema]

Não há estrela que me faça cantar como outrora cantei

“E nada vibrou...
Não se ouviu nada...
Nada...
Mas o cristal nunca mais deu o mesmo som.
Cala, amigo...
Cuidado, amiga...
Uma palavra só
Pode tudo perder para sempre...
E é tão puro o silêncio agora!”
[Quintana, in Canção de Vidro]

Façamos então, do silêncio, morada
E nele naveguemos e miremos estrelas
Compremos binóculos...
Para que a estrela mais distante não deixe de ser admirada...
Desejada...
Alcançada!
Fiquemos em silêncio então...
E deitados no chão, na relva e de mãos dadas
Usemos os binóculos e miremos nossos anseios
Guiados por estrelas, seguindo nosso norte
O meu e o seu, talvez o nosso
Talvez...
Empreguemos então, a leveza...
Esqueçamos o habitual, mas sem deixar de colher a cumplicidade...
Sejamos nós mesmos, sem condicionantes!

"As únicas coisas eternas são as nuvens..." [Quitana, in Epígrafe]

Corramos na chuva
Sejamos como crianças
Sonhemos como adultos








Ps.: Outro poema feito a quatro mãos com a Ana Fernandes via MSN (God bless technology), desta feita com inspiração do mestre Quintana (Ok, assim fica fácil fazer poesia, não?). Todos os versos dele foram tirados do blog Eterno Espanto.

4 comentários:

Narradora disse...

Quintana é mágico.
Gosto do q vc escreve... a dupla tá funcionando bem.
Lindo texto.
Bjs.
Ps: Binóculo, boa idéia.

Lígia Carvalho disse...

Momentos de silêncio em que a alma emudece por não achar no vocabulário humano, outra linguagem que melhor exprima...

Alice disse...

E onde tem Quintana tem nuvem, vento, chuva e bom tempo. Leio Quintana como terapia. Tem gente que não entende bem aqueles versos soltos dele, mas ler o que ele diz é um exercício. Para ler Quintana, é preciso esquecer alguns discursos teóricos chatos e tomar uma dose boa de simplicidade. Amei a idéia e adorei ver que dois escrevem poesia e se tornam iguais. Eu também não escrevo sozinha - A Alice me faz companhia.

Bjs e sempre poesia.

Letícia que acorda tarde e fica deprê porque tem que trabalhar. :)

Camilla Tebet disse...

E eu que não sei ler poesia, adorei!
Bela dupla!!