30 de janeiro de 2008

Parada num Momento


Ninguém por perto, preciso de um recesso e de uma opinião. Um rasgo inesperado, um tiro de mentira, deixando uma lacuna e mais alguns espaços vazios de desilusão. Volto a caminhar nesse mundo que eu desconheço, onde só carrego no bolso meu pouco apreço por essa situação. Eu tento achar a confiança, um sinal de merecimento ou algo que eu possa usar como argumento, mas tudo é tão semelhante, quem sabe falar o que vier na telha, livre, sem medo, de coração. Mas não quero falar a respeito. Não acho palavras, nem encontro quem me diga o que fazer, ou dizer, ou pensar e não posso compartilhar com você. Porque é tudo muito estranho, assustador. É só mais um dia de inverno. Me espera na próxima parada, dessa vez prefiro viajar sozinha.

7 comentários:

Zélia Palmeira disse...

Essas linhas me fizeram lembrar que...

“Na realidade somos mais do que conhecemos de nós próprios e, com freqüência vemos sair de nossas bocas coisas que não acreditamos sermos capazes de dizer” (Emerson) ...

e de fazer, também.Por isso,é sábio encontrarmos a "parada" certa para cada coisa.

Mattoso disse...

Fiquei tão compenetrada em colocar a imagem que nem saiu o título. "Parada num Momento", que foi inspirada na music do U2 stuck in a moment"

Alice disse...

Esse texto me fez lembrar do meu processo de criação. Conheço pessoas que escrevem e em contato com alguns supostos escritores, me achei medíocre. Mas então vem outro texto e outra palavra e embora seja repetida, faço a coisa de outra forma. Escrever é bem mais que se expressar de forma coerente, eu acho. Escrever é não ter medo e Simoni, seu texto está perfeito. Uma criação cheia de originalidade.

Alice disse...

Ah, E vou colocar Stuck in a Moment na lista de músicas do nosso blog. :)

Mattoso disse...

Letícia,
falar nisso, adorei essa lista de música no blog. E tento seguir suas dicas atentamente e deixar de pensar que um dia pensei ser medíocre. bjs

Zélia,
Adorei a parte que saímos pela boca, e nem acreditamos no que nos transformamos com essas palavras ditas. Como pode alguém (des)escrever algo tão real?
P.S: lembrei de sua particularidade nos seus textos [(des)escrever] em brincar com os significados das palavras e roubei por um determinado momento para me expressar. ehehe bjs

João Neto disse...

"Ninguém por perto, preciso de um recesso e de uma opinião." (Mattoso)

Quero o recesso, não sei se quero as opiniões...

Já percebeu que todo mundo tem uma opinião para dar? E que normalmente todas elas são díspares entre si? Pois é, ao invés de ajudar, termina por confundir ainda mais.

Zélia Palmeira disse...

Amiga,

No problem!É isso aí...

Hehehehe