22 de janeiro de 2008

Duas Orelhas, Três Brincos

O cabelo é curto, e negro como noite, mas não como qualquer uma. É mais como noite bem escura, em lugar distante da civilização, onde as luzes artificiais não conseguem embaçar o brilho das estrelas. E elas também estão lá, no formato de olhos. Brilhantes, vivos e profundos. Olhos que sondam e entendem, como entendem...

Alguém já disse que as estrelas são os olhos de Deus. Os olhos dela são estrelas que lembram o infinito que Deus representa. Inquisidores, ao mesmo tempo que a traem. Ela é forte, não há dúvida. Mas tem lá seus pontos fracos, suas carências. Eu as vejo, enquanto me revelo ao encarar o brilho intenso que me sonda.

Tem a boca. Que ela diz que é grande, mas só se for nas intenções que proclama. Quando beija, abocanha com retoques indecentes os suspiros que saem de mim. É linda, e não pouco provocante. Quando ri, demonstra a felicidade impressa em seu coração. Sorriso igual não há, é sonho de infinitas tentações.

São apenas duas orelhas. E ora, quantas mais haveriam de ser? Mas parece multidão delas, pois escuta com paciência, transcende o entendimento, responde com eloqüência aquilo que lhe digo. Chama-me de bobo, mas qual a surpresa? Quem não ficaria bobo com o que ela diz, faz e deixa entrever? O melhor são os três brincos, dois em apenas uma, que, além do visual sexy, reflete com veemência o caráter definitivo que possui. Ainda outro dia reclamou que os brincos estavam velhos, e que só não comprou novos por que não havia encontrado aquilo que procurava. Ofereci-me para dar-lhe de presente. Quão tolo fui. Ela disse que não precisava, pois gosta das coisas do seu jeito. Posso com isso? Sim. E posso ainda mais, pois me encanta o seu jeito independente, a maneira só sua de agir.

E quanto ao corpo? Nisso não posso falar muito, pois muitas autocríticas escuto. Boba. Não vê o quão perfeita é, justamente por possuir as imperfeições que todos temos. Como é bom sentir seu corpo miúdo colado ao meu, o calor impregnado de desejos derretendo minhas defesas. Como se porventura eu quisesse me defender...

Ela é assim, cheia de vida e alegria, repleta de mistérios e fantasia. Ilha que desbravo todos os dias, fonte de ternura e poesia. Vive reclamando que não enxergo seus defeitos, que estou cego de paixão. Tola que é. Eu os vejo bem, e sei que dias virão em que eles se insurgirão contra o sentimento que nos une.


Eu sou um bobo apaixonado? É, acho que sim. E se for defeito, ou virtude, não me interesso em saber. Importa apenas que se mantenha assim. Se houver cura, não quero. Se houver outra maneira de amar, que não me ensinem. Se houver outra vida, que esta se eternize.

6 comentários:

Alice disse...

E que se crie um texto romântico a cada dia. Assim, estaremos salvos.

Zélia Palmeira disse...

"Eu sou um bobo apaixonado? É, acho que sim. E se for defeito, ou virtude, não me interesso em saber. Importa apenas que se mantenha assim. Se houver cura, não quero. Se houver outra maneira de amar, que não me ensinem. Se houver outra vida, que esta se eternize." (João Neto)

Amar é engrandecedor.É fato que a paixão,também, traz sensações desagradáveis ao organismo humano.Entretanto,segundo eu soube essas sensações duram no máximo 7 anos - isso no caso de ela conseguir chegar até lá.A partir de então,duas saídas:ou a paixão vira amor ou acaba.O amor, também tem seus estágios.Em sendo romântico(e ainda paixão) é idealizado,fora do plano real e concreto.Podendo, embora, se realizar por alguns instantes como acontece desde a época de seu surgimento,a europa medieval,como no encontro de uma dama casada e seu objeto de desejo.Em sendo amor,simplesmente,eis:

"Esta coisa absurda e magnífica, entre o muito mau e o bem supremo, que se chama com ligeireza amor"

Denis de Rougemont in:O amor e o ocidente.

Digam o que disserem esse sentimento é grandioso demais,em todos os sentidos, para caber em algumas linhas.Venha como vier,que saibamos "usá-lo" na medida certa para cada ocasião.Assim toda vida será eternizada e todo amor,"infinito enquanto dure" - Vinicios de Moraes .

Sentimental ♥ disse...

O beijo nessa boca grande deve ser fantástico. E pra que cura de um sentimento tão sublime. Continue assim, amando a menina de três brincos e duas orelhas. E q a vida se eternize para que ambos possam continuar assim, bobos de amor...
Tem coisa melhor???
Beijos
*Adorei os comments no Sentimento e todos já estão respondidos.
Mais beijos

Bird disse...

João,
obrigado pela visita.
Adorei o seu blog.
Visitarei com frequencia
Abraço

Sentimental ♥ disse...

Obrigada pela visita no Contos tmb...
Sou romântica, mais do que qualquer coisa.... tmb tive minhas frustrações, mas sou brasileira e não desisto nunca, sempre acho alguém q mereça minha atenção e meu romantismo...
Beijos

Anônimo disse...

Por que nao:)