11 de janeiro de 2008

Janela

Falta um pedaço de vidro
na janela e o vento
faz a cortina voar.

Falta um pedaço de vidro
na janela e
os sons da rua
passam a conviver
com o silêncio da tarde caseira.

Falta um pedaço de vidro
na janela e o vento teima
em espalhar poeiras e sonhos
por toda a casa.


André Freire



2 comentários:

Zélia Palmeira disse...

André Luiz Castilho Freire (1959) nasceu em Maceió (AL).Atualmente mora em Portugal onde exerce a profissão de médico.Ele colabora com jornais locais e escreve poemas.O poema "Janela" foi extraído de seu primeiro livro, "A certeza das incertezas", Tipografia Voz de Lamego, Lda, 2004.Enquanto a roda gira,mãos,também,arrumam palavras ao vento.Quem quiser dar uma "busca" por novos pensadores,visite:


http://www.releituras.com/novosescritores.asp

Mattoso disse...

Hoje é minha estréia em um blog, que coisa boa é compartilhar pensamentos...e esse poema me faz pensar que "Falta um pedaço de vidro na janela da minha alma e
os sons de todos que participam da minha vida passam a conviver
com o silêncio dessa mente que aos poucos se contrói...." utilizando Faço das palavras do André Luiz Castilho, minhas também.
Claro também vou da ruma olhada e buscar por novos pensadores...