11 de fevereiro de 2008

Poemas Não Devem Ficar Escondidos

Tem lá o Empty Garden, uma comunidade no Orkut onde discutimos a solução para os problemas do mundo, a economia global, a cura do câncer e o novo corte de cabelo do Brad Pitt (aliás, não entendi até hoje o que Angelina - oláááááá, enfermeira! - viu naquele mané). Falo demais e me perco. Voltemos ao ponto central. Um belo dia, a Alice, colaboradora deste blog, fez a seguinte pergunta em um forum: "O que há com a nossa geração 'Coca-Cola'?". E eu, num dos acessos de loucura que de vez em quando dá, respondi com o poema abaixo. E aí ela e a Zélia, outra colaboradora, instaram para que eu postasse aqui. Concordei. Não tem título. Dê o seu. Dê os créditos também à Alice que provocou e à Zélia que me fez ver que poemas não devem ficar escondidos.




A Coca-cola acabou
A lata foi amassada
Foi reciclada
E virou chapa de alumínio
E foi montada em um chassi
E colocaram umas rodas, e uma direção
Colocaram uma logomarca bacana
Mandaram de avião
Chegou na loja e eu vi
Não tenho dinheiro que compre aquela lata de Coca-cola
A geração chegou ao fim
E já não sei mais o que fazer
Se me lanço do precipício
Ou me conformo com a mediocridade de uma TV e uma vida (in)feliz

3 comentários:

Alice disse...

O poema já tinha sentido mesmo que a pergunta não fosse feita. É um retrato do que nos sobrou - dos sonhos da Legião Urbana, barcos de papel, futuro brilhante com vista para o mar. Um retrato perfeito feito por um escritor.

Pan disse...

João... De fato, amassaram a latinha. Sequer somos mais a juventude "numa propaganda de refrigerantes"... O que fazer depois que se perde o sentido dos sonhos de uma geração de adolescentes?? Crescer, talvez... Os pessimistas dizem que crescer é se conformar com o mundo. Será que devemos?

Zélia Palmeira disse...

Os créditos são todos seus,João!Mas já que me provocou,vou lá:o poema pode ficar sem título mesmo se você preferir.Pode reforçar a idéia de indecisão expressa no poema mas eu acho que se ele fosse escrito por mim,eu colocaria o seguinte título: "Biodiversidade Reciclável" :D

E lembre:toda a poesia deve sair janela afora...