16 de julho de 2008

A LUZ ATRAVÉS DA JANELA



Minutes to midnight by =Princess-of-Shadows


A luz entra pela janela
entreaberta
entrefechada
não sei ao certo.
O brilho da lua entra
sem
cerimônia
sem
vergonha.

No céu as nuvens
cinzentas passam
e olham...
para as estrelas
com
inveja
do brilho delas.

Através da janela
O gato
sob o luar
contempla
sombrio
o murmúrio
do mar.

Através da janela.
A moça
melancólica
sonha
com a beleza
do céu azul
do escuro mar.
Que desperta
nela
um desejo
uma vontade
de amar.

2 comentários:

Favoretto, Thais. disse...

Achoq ue todos já sofreram um pouco do mal de Balzac.
O cair da noite inspira, ao mesmo tempo que enlouquece.
Quantas vezes já me peguei acordada até o dia amanhecer só olhando pela janela pra ver nada além da lua e das estrelas.
Ouvir meu cachorro latindo e o vento soprando e bagunçando meu cabelo.
Lindo poema.
xoxo,

João Neto disse...

Dalmo,

Não havia comentado nada seu ainda, nem ao menos tinha lhe dado as boas vindas ao blog. Então faremos as duas coisas ao mesmo tempo:

Seja bem-vindo e quero dizer que sua poesia é verdadeira e faz pensar.

E nesta eu penso na melancolia que nos assalta de vez em quando. Mas é ruim? Não sei, acredito que é uma faceta da vida. Dias assim valorizam os outros dias mais azuis.

Grande Abraço.