24 de junho de 2009

Apelo afrito

Foto: olhares


Apelo Aflito

Curvas femininas
Misteriosa e sensuais
Um apelo para o amor
Pétalas de flor

Seus olhos
Lágrimas apago
Com um sopro
De um mago

Aflito admiro
Derrapo nas curvas
Dos seios
E suspiro

No centro
Umbigo
Começo do mistério
Antigo

No regaço
Os dedos
Percorrem
O traço

Em baixo da calça
O púbis veludo
Liso e Suave
Tudo.

Por Joseph Dalmo (jun, 2009)

Um comentário:

Feminilidades disse...

Este é um dos teus poemas que mais gosto... suavemente sensual... ao ler-te sinto como que tocada por cada palavra... doce sensação é ler tua poesia.

Abraço poético!!